Especial: Porsche faz 60 anos

|

Montadora completa seis décadas como um dos grupos mais lucrativos do mundo

A Porsche está comemorando aniversário. Exatamente 60 anos atrás, foi fundada uma empresa industrial familiar, que partiu de origens modestas e é hoje uma das mais importantes fabricantes de automóveis esportivos do mundo – algo inimaginável naquela época

O dia 8 de junho de 1948 marca o início de um novo capítulo na história do automóvel. Nesse dia, o primeiro Porsche, com a identificação número 356-001, recebeu a sua aprovação oficial e homologação para uso nas estradas. “Tudo começou quando eu procurei e não conseguia encontrar o carro dos meus sonhos. Então, eu mesmo decidi construí-lo”, disse Ferdinand Porsche. Até hoje, esse gênio e espírito pioneiro vem moldando a filosofia da empresa.

Nas seis décadas de existência, a Porsche passou por picos e também por declínios. No entanto, graças aos métodos de produção eficientes, à apresentação diferenciada da marca e aos modelos inovadores como o 356, o 911, o Boxster e o Cayenne, o especialista em carros esportivos que começou como uma pequena fabricante rapidamente se transformou em um dos fabricantes de maior sucesso e com maior lucratividade no mundo

Atualmente, a Porsche tem muita força. Temos a linha de veículos mais ampla e mais atraente da história da companhia. Temos custos e processos sob controle, assegurando nossa independência durante muito tempo. Sempre nos consideramos o Davi que tem de enfrentar o Golias desta indústria. Essa auto-imagem tem nos moldado no decorrer dos anos, mas também foi o que nos trouxe sucesso”, explica o CEO da Porsche, Wendelin Wiedeking.

Quando Wiedeking assumiu a administração da empresa, em 1992, a Porsche tinha alcançado o pico da maior crise econômica de sua história. A montadora estava no limiar de perder seu bem mais importante: a independência. A Porsche estava pronta para ser assumida por outra marca e isso precisava ser sanado imediatamente. As famílias acionistas, Porsche e Piëch, apoiaram a diretoria da empresa.

Wiedeking e seus colegas da diretoria não apenas produziram o Boxster, mas também fizeram com que a Porsche desse a volta por cima por meio de outras medidas econômicas. Sob termos genéricos como “gerenciamento firme” e “produção firme”, novos fluxos de trabalho organizacionais e de produção foram introduzidos. A hierarquia da empresa e as estruturas de processo foram reorganizadas em todos os níveis. Não demorou muito para que os esforços internos melhorassem a produtividade e para que a linha de produtos recém-desenvolvida tivesse um impacto positivo. Já em 1995, a Porsche estava tendo balanços financeiros positivos e começou a assumir uma posição de liderança ao quebrar recordes de receita, vendas e rendimentos todos os anos.

Além do balanço financeiro, a reputação da marca Porsche reflete a posição excepcional da empresa. Pela quinta vez consecutiva, gerentes alemães de renome de todos os setores da indústria elegeram, através de uma pesquisa feita pela revista Manager Magazin, a Porsche AG como sendo a empresa que tem a melhor imagem. O prestigioso Estudo sobre Qualidade Inicial, conduzido pelo instituto de pesquisas norte-americano J.D. Power, classificou a Porsche em primeiro lugar pela segunda vez. E o estudo de Apelo feito pela J.D. Power confirmou que o fabricante de veículos esportivos com sede em Stuttgart foi, pela terceira vez consecutiva, considerado pelos consumidores norte-americanos como a marca mais atraente.